O Observatório das Metrópoles Núcleo Baixada Santista está sediado na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), no Instituto Saúde e Sociedade, sob a coordenação de Marinez Villela Macedo Brandão, Tânia Maria Ramos de Godoi Diniz e José Marques Carriço.

Para o projeto “Reforma Urbana e Direito à Cidade: desafios para o desenvolvimento nacional”, com organização de Tânia Maria Ramos de Godoi Diniz, Marinez Villela Macedo Brandão e José Marques Carriço, participam 22 pesquisadores(as) vinculados ao núcleo.

Equipe

Ana Cristina Vacarell
SEDUC
Daniel Arias Vasquez
UNIFESP
Débora Galvani
UNIFESP
Diogo Damasio Gomes da Silva
Prefeitura Municipal de Santos
Fernanda Teles Gonzalez
UNIFESP
Gabriela Ortega
IBDU
Gabriela Pereira Vasters
UNIFESP
Helton Saragor de Souza
UNIFESP
Jose Marques Carriço
UNISANTOS
Leonardo Moretti Manço
Sec. de Planejamento do Estado de São Paulo
Luzia Fátima Baierl
UNIFESP
Maria Carolina Maziviero
UFPR
Marina Ferrari de Barros
UFABC
Marinez Vilela Brandão (Coordenação)
UNIFESP
Mario Miranda Antônio Junior
UNIFESP
Otávio Amato Souza Dias
Prefeitura Municipal de Santos
Sania Cristina Dias Baptista
Ex-Emplasa
Silvia Maria Tagé Thomaz
UNIFESP
Simone El Khouri Miraglia
UNIFESP
Sônia Regina Nozabielli
UNIFESP
Tânia Maria Ramos de Godoi Diniz (Coordenação)
UNIFESP
Terezinha de Fátima Rodrigues
UNIFESP
 
  • Região Metropolitana de Baixada Santista

    A defesa do direito à cidade é um direito coletivo, direito a tudo que a cidade pode oferecer para a reprodução da vida social. Todavia, a defesa desse direito é atravessada por determinações históricas das relações capitalistas que produzem e reproduzem possibilidades e, ao mesmo tempo, práticas de exploração e de valorização do capital. Os artigos que integram o presente livro pretendem pontuar esse processo na Região Metropolitana da Baixada Santista, ressaltando os desafios que se apresentam face aos princípios fundantes da reforma urbana e do direito à cidade. São capítulos baseados em pesquisas que evidenciam a necessidade de se pensar a cidade a partir dos sujeitos que nela habitam. 

    Um conjunto de artigos trata da relação porto-cidade e suas contradições, expressas na riqueza produzida e no acesso aos direitos negado à população pauperizada e em situação de rua. Outros, tratam da realidade da Baixada Santista e os desafios do sistema de abastecimento de gás, da redução do lixo e encaminhamento dos resíduos de forma correta. Alguns artigos privilegiam o Porto de Santos, como lócus do projeto ultraliberal, discutem a legislação  urbanística flexibilizada para atender a interesses particulares, ressaltam o Plano de Passagens de Santos e a importância do estímulo às formas ativas de deslocamento no espaço urbano.

    O desafio de pensar a cidade e os sujeitos que nela habitam está presente em artigos que tratam da urbanização e desenvolvimento das cidades brasileiras, analisam a produção e inserção territorial dos programas habitacionais, refletem sobre a educação e a segregação socioespacial que provoca a ausência do direito à cidade, e desenvolvem uma discussão aprofundada  sobre a  criminalização dos movimentos sociais. São artigos que provocam o pensamento crítico, nestes tempos de ausência de direitos, a pensar propostas que possam direcionar nossas expectativas para uma reforma urbana, sob uma agenda de defesa do direito à cidade.

    Organização: Tânia Maria Ramos de Godoi Diniz, Marinez Villela Macedo Brandão e José Marques Carriço

    Saiba mais sobre este livro