O Núcleo de Fortaleza do Observatório das Metrópoles, implantado em 2004, é vinculado aos Departamentos de Geografia e de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Ceará (UFC), sob a coordenação de Maria Clelia Lustosa Costa e Luis Renato Bezerra Pequeno.

Para o projeto “Reforma Urbana e Direito à Cidade: desafios para o desenvolvimento nacional”, com organização de Alexandre Queiroz Pereira e Maria Clelia Lustosa Costa, participam 13 pesquisadores(as) vinculados ao núcleo.

Equipe

Adriano Almeida
UFC
Alexandre Queiroz Pereira (Coordenação)
UFC
Alexsandra Muniz
UFC
Clelia Lustosa (Coordenação)
UFC
Eduardo Machado
UNILAB
Eustógio Dantas
UFC
Iara Rafaela Gomes
UFC
Joisa Barroso
UFC
José Borzacchiello da Silva
UFC
Regina Balbino
UFC
Renato Pequeno
UFC
Rogério Costa
UFC
Valeria Pinheiro
UFC
 
  • Região Metropolitana de Fortaleza

    A reforma urbana e o direito à cidade são temas transversais aos capítulos desenvolvidos neste livro. Em termos de estrutura, o volume está subdividido em três partes. A primeira parte é constituída pelos capítulos "Metrópole como negócio e precarização da vida cotidiana" e "Desigualdade socioeconômica, vulnerabilidade e negação ao direito à cidade", escritos, respectivamente, por José da Silva e Maria Clelia Costa. No primeiro, Silva analisa Fortaleza a partir do movimento da Reforma Urbana, inclusive o Estatuto da Cidade. Já Costa discute o impacto das políticas econômicas e sociais na qualidade de vida da população.

    A segunda parte traz à tona o debate acerca do planejamento e dos instrumentos urbanísticos. No capítulo escrito por Renato Pequeno, "Conflitos e contradições nos processos de planejamento urbano em Fortaleza: regimes urbanos, regulamentação seletiva e governança conflituosa", os regimes urbanos serão explicados à luz da crítica ao Estado e ao modelo de governança. Nos dois capítulos seguintes, "A atual defesa das ZEIS em Fortaleza: da organização comunitária à articulação em rede e os embates institucionais" e "A ZEIS como instrumento da reforma urbana", sob responsabilidade de Valeria Pinheiro e Joisa Barroso, respectivamente, atenção será dada às formas pelas quais as ZEIS foram pensadas. Para finalizar esta parte, Eduardo Machado et al apresenta "O direito à cidade na trajetória do movimento popular-comunitário no século XXI: questões teórico-empíricas a partir do caso do Grande Bom Jardim, Fortaleza, Ceará", onde expõe como o direito à cidade foi compreendido em diferentes processos e momentos.

    Na terceira e última parte, três capítulos indicam temas centrais para superar as desigualdades em Fortaleza. O capítulo de Alexsandra Muniz, "Economia urbana e mercado de trabalho em Fortaleza no contexto de pandemia da Covid-19", enfrenta o tema das transformações no mundo do trabalho. Escrito por Eustógio Dantas et al, Lazeres, "Lazeres, turismo e o direito à vida na cidade de Fortaleza", contribui ao discutir o processo de reprodução da cidade de Fortaleza na sua frente marítima. Por último, em tema contemporâneo, Iara Gomes escreve o capítulo "Desafios e novas possibilidades para a produção de alimentos na metrópole", demonstrando a importância das metrópoles no processo de consumo e produção de alimentos.

    Organização: Alexandre Queiroz Pereira (UFC) e Maria Clelia Lustosa Costa (UFC)

    Saiba mais sobre este livro