O Observatório das Metrópoles Núcleo Maringá foi criado institucionalmente em 2005, vinculado ao Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Estadual de Maringá (UEM). O núcleo é coordenado por Celene Tonella, juntamente com Antonio Rafael Marchezan Ferreira e Ricardo Luiz Töws.

Para o projeto “Reforma Urbana e Direito à Cidade: desafios para o desenvolvimento nacional”, com organização de Antonio Rafael Marchezan Ferreira e Celene Tonella, participam 15 pesquisadores(as) vinculados ao núcleo.

Equipe

Antonio Rafael Marchezan Ferreira
UEM
Cássia Maria Bonifácio
UEM
Celene Tonella
UEM
Cristhiane Michiko Passos Okawa
UEM
Fabíola Castelo de Souza Cordovil
UEM
Jeanne C. Versari Ferreira Sapata
UEM
Leonardo Cassimiro Barbosa
UEM
Maria Teresa de Nóbrega
UEM
Marina Silva da Cunha
UEM
Oscar Luiz Schuhardt
UEM
Pollyana Larissa Machiavelli
UEM
Priscilla Borgonhoni Chagas
UEM
Ricardo Luiz Töws
IFPR
Samanta Elisa Martinelli
UEM
William Antonio Borges
UEM
 
  • Região Metropolitana de Maringá

    O Observatório das Metrópoles Núcleo Maringá surgiu em 2005, vinculado à Universidade Estadual de Maringá. Ele está fazendo 17 anos e, ao olhar em retrospectiva, vislumbramos a significativa dimensão do papel social e acadêmico que o Núcleo vem desenvolvendo ao longo dos anos. São inúmeras as produções acadêmicas que subsidiam as organizações sociais, prefeituras, movimentos sociais e órgãos de pesquisa. A presente obra coletiva se somará a este vasto repertório e se pretende analítica e propositiva diante de novas matérias e dos imensos desafios enfrentados pela questão urbana e pela garantia do direito à cidade. A partir das dimensões municipal e metropolitana pretende-se colaborar com a construção do projeto de desenvolvimento, redistributivo e inclusivo para a sociedade brasileira. A Região Metropolitana de Maringá conta hoje com 26 municípios e uma população de mais de 800 mil pessoas. Tudo isso é objeto de estudo dos capítulos que transitam e problematizam, entre outros temas, sobre: a) o efetivo atendimento das principais características do direito à cidade; b) se os espaços de representação criados ao longo dos anos conseguem responder aos interesses do conjunto da população; c) a lógica de mercado que aproxima Maringá das práticas do capitalismo financeirizado, o que pode ser compreendida como uma espécie de experimento neoliberal com vistas ao fortalecimento de práticas e coalizões que geram o rentismo; d) como, principalmente a cidade polo, apresenta uma forma de gestão voltada para a cidade como empreendimento imobiliário; d) a integração relativa da RMM, em que a maior parte das ações, projetos e políticas do âmbito metropolitano são centralizadas na cidade polo; e) perfil associativo de municípios da RMM.

    Organização: Antonio Rafael Marchezan Ferreira e Celene Tonella

    Saiba mais sobre este livro