O Núcleo Paraíba do Observatório das Metrópoles (João Pessoa – Campina Grande) tem sua sede na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), sob a coordenação de Lívia Izabel Bezerra de Miranda. Foi composto, inicialmente, por ex-membros do Núcleo Recife do Observatório das Metrópoles, atuais professores da UFCG.

Para o projeto “Reforma Urbana e Direito à Cidade: desafios para o desenvolvimento nacional”, com organização de Lívia Izabel Bezerra de Miranda e Demóstenes de Moraes, participam 16 pesquisadores(as) vinculados ao núcleo.

Equipe

Alexandre Sabino do Nascimento
UFPB
Andrea Leandra Porto Sales
UFPB
Arthur Nóbrega
Levante popular da Juventude e Ativista LGBTQIA+
Beatriz Britto Mendes
Lab Rua
Caline Mendes de Araujo
Governo do Estado da Paraíba
Carlos de Oliveira Galvão
UFCG
Demóstenes Andrade de Moraes (Coordenação)
UFCG
Fernando Joaquim Ferreira Maia
UFPB
Jessica Neves Lôro
UERJ
Josilene Maria de Oliveira
Vereadora de Campina Grande
Jobson Brunno da Silva Lima
UFCG
Kainara Lira dos Anjos
UFCG
Lívia Izabel Bezerra de Miranda (Coordenação)
UFCG
Maria Jackeline Feitosa Carvalho
UEPB
Myriam Batista de Carvalho
UFCG
Paula Dieb Martins
UFPB
 
  • Região Metropolitana de Campina Grande e João Pessoa

    O livro expressa as reflexões e ações realizadas no âmbito do programa do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Observatório das Metrópoles Núcleo Paraíba, no que concerne às várias dimensões e temas relacionados à reforma urbana e ao direito à cidade, em conexão com o desenvolvimento Regional e Nacional. A proposta aqui esboçada procura observar qual é o rebatimento da crise urbana que marca o contexto atual, nos territórios das Regiões Metropolitanas de Campina Grande e João Pessoa que são os arranjos populacionais mais significativos da Paraíba. O livro estará organizado em doze capítulos, além desta apresentação e de uma introdução que tratará das questões conceituais e das teses centrais que orientam o projeto Reforma Urbana e Direito à Cidade nos arranjos metropolitanos de João Pessoa e Campina Grande.

    Os capítulos caracterizarão os territórios a partir de diversos indicadores, denunciam as opressões e discriminações de gênero, raça, sexualidade e classe construídas a partir das relações heteropatriarcais e do racismo. Buscam uma aproximação entre as questões urbana e ambiental. Exploram criticamente as contradições presentes nas agendas, políticas e projetos associados ao paradigma do desenvolvimento urbano sustentável. Tecem reflexões sobre as agendas e ações empreendedoristas e pró-mercado, permeadas por articulações público-privadas. Também apresentam reflexões na perspectiva de apontar um balanço crítico sobre os principais avanços, retrocessos e tendências nos campos institucional e sociopolítico em relação às propostas da reforma urbana. As agendas políticas, ações, práticas e propostas dos movimentos e coletivos urbanos são analisadas relacionadas às políticas e aos processos de planejamento e de gestão urbanos. E por fim, busca-se apresentar questões e propostas visando a construção de cidades democráticas, inclusivas e justas, tendo o direito à cidade como horizonte radical de concepção e ação.

    Organização: Lívia Izabel Bezerra de Miranda e Demóstenes Andrade de Moraes

    Saiba mais sobre este livro